Eventos

O Ano Novo Chinês é a maior e mais importante festa do calendário chinês e o mais importante dos feriados tradicionais da cultura chinesa.

Na China, é conhecido como "Festival da Primavera".

O festival tem início no primeiro dia do primeiro mês do calendário tradicional chinês e termina com a Festa da Lanterna.

O Instituto Confúcio da Universidade de Lisboa (ICUL), dando continuidade às comemorações realizadas em Arroios e no Museu do Oriente, organiza no dia 20 de fevereiro a partir das 15h no Anfiteatro 1 da Faculdade de Letras, um espectáculo com a participação de alunos da Licenciatura de Estudos Asiáticos, do ICUL e do Colégio de S. Tomás.

A este espectáculo segue-se a visita à Exposição de trabalhos da autoria de Lin Jiangquan e Zeng Dongping, terminando com um convivio/receção no edifício da Biblioteca da Faculdade de Letras.

 

 

Assinalando o ano em que se celebra o 10.º aniversário do estabelecimento da parceria estratégica global de cooperação Portugal-China, a Universidade de Lisboa, através do Instituto Confúcio, e a Câmara Municipal de Lisboa, lançam a 1.ª edição da Conferência Lisboa Portugal-China no âmbito das relações entre do dois países, acolhendo três personalidades de grande relevo do mundo académico chinês ligados à estratégia económica da República Popular da China.

Um dos berços da civilização chinesa, a província de Shanxi situa-se no norte do país, a oeste das montanhas de Taihang e a este do rio Amarelo. As suas maravilhosas paisagens naturais, tesouros históricos e tradição performativa valeram-lhe os títulos de “museu de arte antiga da China” e “oceano da música e dança tradicionais”.

Em comemoração do Ano Novo Chinês [8 Fevereiro], este espectáculo apresenta, num colorido mosaico, dança e música tradicionais de toda a China, por uma conceituada companhia, herdeira do legado artístico da província de Shanxi.

O Ministério da Educação e Ciência assinou, esta terça-feira, um protocolo de cooperação com o Instituto Confúcio da República Popular da China (Hanban), no âmbito do projeto-piloto de ensino do Mandarim que terá início no próximo ano letivo em escolas secundárias públicas.

No contexto do acompanhamento dos docentes chineses nas 21 escolas que provisoriamente integram o projeto, foram também assinados protocolos de colaboração entre o Ministério da Educação e Ciência e oito Instituições de Ensino Superior parceiras, entre elas a Faculdade de Letras e o Instituto Confúcio da Universidade de Lisboa.